Pular para o conteúdo

Lista de alimentos não perecíveisQuando você imagina realizar uma doação, quando você quer dar a uma pessoa um tipo de comida, mas tem medo, pois não sabe quando o alimento será consumido, a primeira coisa que você pensa é em oferecer alimentos que não estraguem com o tempo.

Com isso, você volta ao passado, onde fazia campanhas para a escola, arrecadando alimentos para doação, relembrando palavras ditas que até então você não entendia, como alimentos não perecíveis. E, mesmo sem saber, você saía à procura deles.

Hoje, você já toma ciência do que significa a palavra não perecível. E, para saber um pouco mais sobre ela, fique por aqui, que este texto trará todas as informações sobre esses tipos de alimentos.

Leia também:

O que são alimentos não perecíveis?

alimentos não perecíveisNa maioria das vezes, quando se quer dizer sobre um alimento não perecível, a pessoa está se referindo a alimentos que podem ser mantidos em temperatura ambiente por um longo período de tempo, sem que estraguem.

Outras pessoas já definem alimentos não perecíveis como aqueles que você não tem risco de perda.

Acontece que não é possível afirmar que existam alimentos que não corram o risco de estragar.

O fato é que eles estragam sim, e levam a nomenclatura de “não perecíveis” apenas para se diferenciarem dos outros alimentos, como os perecíveis e os semiperecíveis.

Ao longo do texto você aprenderá um pouco sobre esses dois alimentos também, por isso continue lendo esse artigo...

Mas, para definir o que é alimento não perecível, a melhor forma é dizendo que eles são alimentos que possuem o maior prazo de validade e duração, em comparação a outros alimentos.

Ele é o alimento que, tendo uma baixa concentração de água e sendo corretamente armazenado, permanece em boas condições para ser consumido por mais tempo.

Exemplos de alimentos não perecíveis

Como exemplos de alimentos não perecíveis, podemos citar:

  • Feijão cru: antes de ser preparado, o feijão é considerado um alimento não perecível. Isso porque você tem a possibilidade de mantê-lo guardado por um bom tempo, sem que ele perca o seu valor nutritivo.
  • Arroz: assim como o feijão, seu companheiro quase inseparável, também é considerado um alimento não perecível. Estudos realizados com dois tipos de arroz, os com grãos revestidos e os polidos, indicaram que a melhor temperatura para armazená-los é 4,5ºC, sendo armazenado num recipiente de plástico ou de vidro. Mantido dessa forma, ele pode durar até 30 anos.
  • Sal: talvez a melhor definição de alimento não perecível. Sendo um mineral, ele não estraga nunca. Quanto maior a sua naturalidade, melhor. E mais, para obter o melhor aproveitamento do sal, você deve mantê-lo em local seco.
  • Açúcar: o açúcar é um alimento que não possui data de validade. Ele deve ser mantido em um recipiente fechado e seco, a fim de que possa ficar útil pelo tempo que você achar necessário.
  • Café Solúvel: o café solúvel, em pó ou granulado, que ainda não foi preparado, é um alimento não perecível, quer continua tendo a sua validade por um período indeterminado de tempo, mesmo que tenha sido aberto. Para aumentar a sua conservação, é aconselhado que o armazene num freezer.
  • Amido de milho: também um alimento não perecível que, para ter aumentada a sua validade, você deverá retirá-lo do seu recipiente original, o transferindo para um recipiente seco e fechado.

O que é alimento perecível?

Alimento perecívelAlimento perecível é aquele alimento que, contrariamente ao não perecível, tem facilidade para estragar. Um grande exemplo de alimento perecível é o leite. Logo assim que é aberta a embalagem, ele já entra em processo de deterioração.

A carne, os peixes, o tomate e outros produtos hortícolas, frutas que têm suco e são moles, entre outros.

A sua principal característica é ter um alto teor de água e é por isso que devem ser armazenados em ambiente resfriado.

E os alimentos semiperecíveis?

Os alimentos semiperecíveis são aqueles foram submetidos a métodos de conservação que fazem com que os alimentos possam ser conservados por mais tempo.

Como exemplo para esses alimentos, podemos citar as conservas, os produtos hortícolas, como a batata, a cenoura, a beterraba, as frutas maduras, entre outros.

Os alimentos semiperecíveis são aqueles que requerem cuidados com o seu estado, com a sua embalagem, com a data aconselhada para o seu consumo e precisam estar sempre sendo observados, para realmente ver se eles se deterioram durante o armazenamento.

O que você acha de fortalecer o sistema imunológico e prevenir a formação de asterosclerose?

Então coma abacate!

Nos últimos anos o abacate vem sendo muito falado devido seus grandes benefícios a saúde principalmente devido o alimento ser rico em ômega-3, que atua como antioxidante e melhora o controle do colesterol e diminui o risco de doenças cardiovasculares, além de melhorar a saúde do cérebro.

Além do ômega-3, o abacate é uma fonte rica de nutrientes e vitaminas que trazem equilíbrio para a alimentação. Ele é rico em sais minerais como potássio, ferro, cálcio e magnésio, além das vitaminas A, C, E, K e vitaminas de complexo B.

Benefícios do abacate

Um dos ótimos benefícios do abacate é que ele aumenta a absorção de carotenoides do corpo. Os carotenoides atuam como antioxidantes e precursores da vitamina A, que é essencial para a saúde dos olhos.

Abacate faz bem para o coraçãoAo contrário do colesterol ruim (LDL) o colesterol bom (HDL) é responsável pela proteção das artérias, com isso o consumo regular de abacate contribui para o aumento do colesterol bom o que protege as artérias e consequentemente diminuindo as chances do desenvolvimento de alguma doença cardiovascular.

Justamente por ajudar no aumento do colesterol bom faz com que o abacate tenha uma ação anti-inflamatório o que é ótimo para pessoas que sofrem com inchaços, desconfortos e vermelhidões devido a artroses, reumatismos e gotas.

Além disso, o abacate também ajuda combater a artrite que é uma doença inflamatória que leva à dor intensa nas articulações e outros problemas. E justamente os componentes do abacate ajudam a combater a inflamação causada pela artrite.

Por ser rica em vitamina B6 faz o abacate ser um ótimo remedio para impotencia feminino, isso porquê o alimento controla a produção do hormônio prolactina nas mulheres, esse hormônio é um dos responsáveis pela infertilidade feminina e, com seus níveis mais baixos, permite que a mulher aproveite melhor o sexo.

Abacate para quem pratica atividade físicaPara quem faz musculação ou qualquer outra atividade física, comer abacates evita a fadiga muscular porque combate os radicais livres que surgem devido ao exercício intenso, provocando o envelhecimento das células e facilitando o aparecimento da dor.

Além disso, o abacate ajuda na hipertrofia muscular, pois fornece energia para o treino e contém proteínas que ajudam na recuperação do músculo.

O abacate é um importante alimento também para mulheres grávidas, isso porquê ele ajuda prevenir doenças congênitas como problemas no sistema nervoso e espinha bífida, que é o mau fechamento da coluna vertebral do feto. Tudo isso é possível devido o abacate ser rico em ácido fólico.

Como falado no começo do artigo, o abacate é rico em ômega-3 que é um importante alimento para melhorar a saúde do cérebro. Uma dieta rica nesse nutriente melhora a capacidade de memória porquê estimula a circulação sanguínea e aumentar a capacidade de concentração.

Como complemento desse artigo, veja o vídeo que mostra mais benefícios do abacate:

Uma dica interessante para quem gosta de maionese é fazer uma de abacate que é 100% natural e nutritiva. Veja a receita:

Vitaminas do complexo BAs vitaminas B1, B2, B3, B5, B6, B7, B9 e B12 são as chamadas vitaminas do complexo B.

Elas atuam no processo de absorção de carboidratos, proteínas e gorduras, atuando ainda na manutenção da vitalidade da pele, cabelo, unhas, bem como na manutenção do tônus muscular.

No vídeo abaixo é mostrado mais detalhes desse tipo de vitamina:

Vitamina B1

A tiamina, muito conhecido como vitamina B1 é importante para produção de ácido clorídrico e para a formação do sangue. Tem importante função no metabolismo dos carboidratos.

Os sintomas principais das falta da vitamina B1 são fadiga, depressão, anorexia e instabilidade emocional. Podem aparecer também sintomas gastrointestinais e insuficiência cardíaca.

Os alimentos ricos em vitamina B1 são: aveia, levedura de cerveja, sementes de girassol, amendoim, carne de porco assada, castanha de caju torrada e castanha do pará.

Vitamina B2

Também conhecida como riboflavina. Esse tipo de vitamina do complexo B alivia a fadiga ocular e é importante na prevenção e tratamento da catarata. Participa do metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas.

Além disso, ela é importante para o organismo porque ajuda a aumentar a produção de sangue, a manter o metabolismo adequado, a favorecer o crescimento e a prevenir problemas no sistema nervoso e de visão, como a catarata.

As principais fontes de vitamina B2 são: leite integral, ovo cozido, espinafre, fígado de boi, iogurte, amêndoas e queijo minas frescal.

Vitamina B3

A niacina, vitamina B3, é conhecida como ácido nicotínico, a vitamina B3 é necessária para a circulação adequada e pele saudável. Ela também contribui com o bom funcionamento dos sistemas cardiovascular e nervoso.

As principais fontes de vitamina B3 são: fígado, bacalhau, atum, sardinha, farelo de arroz, farelo de trigo, gergelim, abóbora, batata-doce, goiaba, pêssego e amendoim.

Vitamina B5

A vitamina B5 é muito conhecida pelo seu efeito contra o estresse. A falta de vitamina B5 no organismo pode provocar queda de cabelo e pelos além de produzir sensação de mal-estar e fraqueza.

Esta vitamina é necessária para produzir esteroides vitais e cortisona na glândula supra-renal e é um elemento essencial da coenzima A.

Os alimentos ricos em Vitamina B5 são o abacate, frango, salmão, cogumelo, sementes de girassol e fígado.

Vitamina B6

Os alimentos ricos em vitamina B6 são importantes principalmente para o bom funcionamento do cérebro e para a formação das células do sangue.

É interessante informar que essa vitamina é chamada também de piridoxina. A banana, castanha, melancia, espinafre cru, fígado, avelã, batata assada, suco de ameixa e frango cozido são as principais fontes de vitamina B6.

Vitamina B7

Essa vitamina desempenha funções importantes no corpo como manter a saúde da pele, dos cabelos e do sistema nervoso. Ela também ajuda melhorar o controle da glicemia em casos de diabetes tipo 2.

Essa vitamina pode ser encontrada em alimentos como fígado, rins, gema de ovo, cereais integrais e nozes, além de também ser produzida pelas bactérias benéficas da flora intestinal.

Vitamina B9

Acompanhada da vitamina B12 participa da síntese do DNA (acido desoxirribonucleico), componente dos cromossomas.

A vitamina B9 também pode ser chamada de ácido fólico, esse por sua vez é imprescindível nos processos de divisão e multiplicação celular, sendo as suas necessidades aumentadas quando da gravidez.

Alimentos como milho, ervilha, peixes, fígado de boi, gema de ovo, cenoura, brócolis, feijão, lentilha e amendoim são ricos nesse tipo de vitamina.

Vitamina B12

A vitamina B12 age na prevenção da anemia, auxiliando ainda na formação e manutenção da longevidade das células. Atua ela diretamente auxiliando na absorção dos alimentos, síntese de proteínas e metabolismo de carboidratos e lipídeos.

Essa vitamina pode ser facilmente encontrada em alimentos como peixes, carnes, ovos, queijo e leite, e é importante para estimular a produção de células do sangue, do DNA e para manter a saúde do sistema nervoso.